06/02/2008

Uma certeza

Aquelas eram as mais belas palavras. As mais profundas, tocantes, intensas, ardidas no punho, estreladas.

Eram loucas palavras
causavam êxtase
transe
derio
alucinação
imaginação
desvairo
fascínio
empolgação


E
is que, novamente, não criou dúvidas: pegou aquelas palavras escritas numa folha branca, recortou e as enrolou num papel mais fino, o vulgo seda. Tascoou fogo. Tragou suavemente, sentiu prazer. Um prazer incrível.
Ficou muuuito louco, chapado, como nunca na história desse país.

A loucura, era obra das palavras,
aquelas malditas palavras grafadas,
filhas da mãe, insanas.
Certeza.

-----

Um comentário:

SAMANTHA ABREU disse...

uau!
é um puta poema...