07/08/2008

Assim é fácil

Do uol:

Tudo como está. Por 9 votos a 2, os ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiram que os políticos com "ficha suja", aqueles que respondem a processos na Justiça, podem se candidatar, a não ser que tenham uma condenação definitiva, sem possibilidade de recursos. A decisão já havia sido tomada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Para Fernando Neves, ex-ministro do TSE, a tarefa de barrar os candidatos com "ficha suja" é do eleitor.

"Achar que nós não devemos eleger para cargos públicos pessoas que não têm um passado recomendável, isso é correto. Só que a Justiça Eleitoral não pode impedir isso. Se 90% da população acha que não deve eleger pessoas com passado pouco recomendável, nós temos que demonstrar isso no nosso voto", disse.

Assim fica fácil: jogar para as mãos da sociedade a batata quente de decidir nas urnas se o candidato com ficha suja deve ou não ser eleito. Num país onde ainda impera o voto oligárquico (aquele no qual práticas como a compra de votos, além dos políticos terem diversas concessões de rádio e tv nas mãos) chega a ser piada.
Porém, como nem todos os acusados realmente são culpados, talvez a idéia do ministro Joaquim Barbosa (relator da ação penal do mensalão) de barrar candidaturas de processos em segunda instância, seja uma boa (embora seu real desejo fosse anular candidaturas de políticos condenados em primeira instância). Ainda assim, acho que (de novo) quem mais perde somos o povo.

2 comentários:

luzdeluma disse...

Gabriel, hoje falamos sobre o mesmo assunto. Os nove votos tiraram por base a facilidade que seria acusar alguém em ano de eleição. Mas vale lembrar que para se abrir um processo é necessário provas de acusação. Como escrevi lá no luz, nao é fácil abrir um processo como querem justificar para o povo. Viu que hoje o STF recebeu envelope com suspeita de "Antrax"? Não sei se é paranóia, mas alguém quer que aquilo se exploda e hoje também deram entrada a um projeto para aumento de salários dos magistrados. Qual a justificativa? Um incentivo para que exista mais candidatos à magistratura. Verdade que, se a justiça você mais rápida na solução dos processos, muitos candidatos que hoje estão com o rabo preso, estariam com seus processos resolvidos. Beijus,

Bruno Espinoza disse...

esperar pelo voto esclarecido em um país em que a grande maioria da população decide o candidato às vesperas e na troca de santinhos na família é, independente da decisão do STF sobre "ficha suja", um sonho.